segunda-feira, 17 de maio de 2010

A morte

A morte chega de forma inesperada, carrega em suas asas, pessoas, que amamos, pessoas conhecidas e pessoas que nunca saberemos o nome, nessa hora são os laços invisíveis da vida que une nossas histórias e ainda depois da morte não se rompe.
O difícil é saber quanto tempo ainda temos de vida... é melhor não cometer tantos erros, não sabemos o tempo que temos para corrigi-los.
Aprender com os nossos erros, é uma lição frutífera... aprender com os erros dos outros é uma lição econômica... não teremos tempo de cometer todos os erros... Acertar é um privilégio, uma alegria...mas são os erros, os tombos, as feridas que nos ensinam de forma mais penetrante. A alegria por mais agradável e deliciosa que seja, nos coloca em posições infavorecidas, a qualquer momento pode haver um tombo, um buraco, um tapete puxado...a euforia nos cega, mas aprender a aproveitar cada momento, cada minuto como único e ultimo é também uma dádiva.

2 comentários:

Jornalina disse...

É preciso viver intensamente... não há tempo para pensar nos erros e acertos. Eles são inevitáveis, tem que sacudir a poeira e continuar caminhando. Ótima reflexão, Ná!
Beijo!

Nathi disse...

"Aprender com os nossos erros, é uma lição frutífera... aprender com os erros dos outros é uma lição econômica..."

Não preciso dizer mais nada!!!

^^